“Ao invez de aumentar tudo de uma vez só, vamos aumentar aos pouquinhos”

Parece que os deputados e senadores se ligaram que “se um sapo for colocado em água quente, ele vai saltar fora mas se for colocado em água fria e ela for aquecida lentamente, o sapo morrerá cozido”. Ao remover o pedido de aumento (ou bloqueado pela justiça[1]), o pedido agora é de “apenas” R$ 3.700[2] (mais do que eu recebia quando tava empregado, sendo que eu tinham descontos caso não aparecesse na segunda e na sexta-feira).

A questão é: é aí que a coisa vai parar ou eles poderão se dar aumentos a cada três semanas, fazendo que com no meio do ano o salário já chegue aos R$ 24.500 que tem sido repudiado. Será que a sociedade vai se ligar dessas coisas e continuar atacando essa corja que vai aumentando o salário para fazer nada?

Considerem isso: uma vez, o problema eram os políticos que não faziam nada; depois, passaram a ser os políticos que usavam a máquina administrativa para proveito próprio[3]; na seqüência, veio o crime organizado; agora, os políticos tem que se defender de pessoas comuns que os atacam (e não podemos dizer “sem motivo”). Lentamente, esse país está caminhando para uma guerra civil e políticos estão mais preocupados em ganhar mais do que tentar salvar o país. Ou vai ver estão juntando “um dinheirinho” pra se mudar pra Miami quando o caos imperar.

[1] Jornal da Record: “A Justiça acaba com a festa: o Supremo Tribunal Federal derruba o aumento de quase 100% para deputados e senadores.”
[2] Folha Online: “Parlamentares prometem defender aumento dos salários para R$ 16.500”.
[3] Como um certo presidente que construiu uma piscina usando equipamentos do estado.