O fenômeno “Tropa de Elite”

Incível como “Tropa de Elite” faz sucesso aqui no Brasil. Isso é uma das coisas interessantes sobre o filme. A outra coisa interessante é a quantidade de pessoas que realmente não entenderam o filme. A quantidade de piadas usando frases do filme é absurda.

Primeiro tem a Gang (“A loja que te entende”, mas que tem o pior setor de marketing do Brasil) espalhou vários outdoors com coisas do tipo “Em 2008, não espalhe lixo, ou tá com nojinho?” e “Em 2008, não brigue nos estádios ou pede pra sair”. A Claro (ou alguma outra empresa de celulares) saiu com uma propaganda com crianças querendo pegar o Papai Noel; um deles dorme e os outros aparecem dizendo “Pô sentinela, pede pra sair”.

Quantas piadas sairam sobre o filme “Filadélfia”? Nenhuma. Por quê? Porque é um filme sobre conscientização social. Assim como “Tropa de Elite”. Só que as pessoas resolveram ver o filme como piada. Ou seria que a violência no Brasil é piada? A corrupção na polícia é piada?

O filme é um filme crítico. Quantos não viram a crítica àqueles que puxam um baseadinho, dizendo que eles estão apoiando a violência nas favelas? Quantos não viram um pai de família, querendo fazer o certo e sempre com medo de tomar um tiro por aqueles que não se importam? Ou os filhos da classe média-alta com sua visão limitada do que é certo ou errado? Aparentemente, muito poucos.