É Hora de Olhar pra Dentro

A Folha postou um vídeo do caos no metrô de São Paulo no dia da greve dos ônibus. É algo que a gente só imagina em filmes de catástrofe.

A questão é que, como sempre acontece quando aparece o caos, começam a culpar o governo.

Pessoas, acordem: Não foi o governo quem empurrou pessoas entre os vãos das escadas; não foi o governo que achou que sempre cabe mais um. Foi o próprio povo quem se enfiou no meio da baderna quando visivelmente não cabia mais ninguém; foi o próprio povo quem empurrou outras pessoas para entre os vãos das escadas; quem elevou um problema ao nível de caos foi o próprio povo.

Sim, sim, o governo gasta dinheiro desnecessariamente e trabalhadores de serviços essenciais — como o transporte público — não são valorizados e sim, justamente por ser um serviço essencial deveriam ser melhores remunerados. Mas isso não livra ninguém que aparece no vídeo da responsabilidade de respeitar o próximo, de perceber que naquele ponto em que forçar passar não vai resolver nada e que isso só iria piorar as coisas.

Se o povo não consegue respeitar o próprio povo, porque nossos representantes respeitariam?

(E, se estendermos um pouco, quantos motoristas de ônibus — o serviço essencial acima — respeitam os usuários do serviço?)

Políticos vão, políticos vem (e alguns ficam anos e anos, mas enfim), a sopa de letrinhas de partidos mudam, mas enquanto não começarmos nós mesmos com uma política de respeito entre nós, os políticos continuarão não respeitando a população — assim como não nos respeitamos.